Aprender a dizer sim...

Este post foi inspirado por uma newsletter da Kylee Ann Studios, que faz um eco perfeito de uma das lições que tenho aprendido nos últimos anos - como gerir os nossos "nãos" e "sins".


Eu não gostava nada de dizer não, de não corresponder às expectativas dos outros. Basicamente queria ver toda a gente feliz e contente sempre!

Fazes-me este logo por este preço? A resposta era sim.

Consegues entregar aquelas fotos até amanhã? Sim.

Arranjas um tempo para me ajudar nisto? Sim.

Mesmo que isso me prejudicasse, o mais provável era que dissesse que sim.


Mas com o tempo aprendi que quando dizemos "Sim" a uma coisa, estamos automaticamente a dizer não a outras.

Ao dizer sim a todos os pedidos dos outros, estava dizer não a horas de sono, tempo para cuidar de mim, energia e também estava a dizer que não à minha família.

Estava com a agenda cheia de ajudas aos amigos, projectos que não me faziam sentido aceitar (mas aos quais tinha dito que sim de qualquer maneira!) . Isso queria dizer que estava a dizer não a tempo de qualidade com o meu marido, estava a dizer não a cuidar da minha casa e de mim mesma, simplesmente porque não queria desiludir ninguém.

Ao não saber dizer não eu:

  • estava sempre ocupada

  • sacrificava as coisas que eu queria para fazer coisas que não me faziam sentido

  • estava sempre desgastada e pouco realizada

  • perdia a oportunidade de criar limites e de transmitir aos outros como queria ser tratada

  • desvalorizava o meu trabalho e valor

É que toda a gente já conhece os ditados "não podes agradar a gregos e a troianos" e um dos favoritos lá em casa "a vida é feita de escolhas", mas nem sempre nos lembramos de os colocar em prática (não é verdade?).

Com o movimento de empoderamento feminino dos últimos tempos estamos sempre a ouvir que podemos fazer tudo! Eu cá acho que seria mais correcto dizer que podemos fazer qualquer coisa que quisermos, mas não tudo (ninguém consegue), por isso devemos escolher as nossas batalhas.

É que ao tentar satisfazer os pedidos e necessidades do mundo inteiro, acabamos a deixar de lado aquilo que é mais importante para cada uma de nós!


No momento em que mudei o meu mindset, comecei a ter mais tempo para mim e, em consequência, a dar de mim aos outros com mais qualidade e intencionalidade, tornando-me mais supermulher no processo.


Às vezes precisamos de dizer que não a coisas boas, para podermos dizer que sim a coisas ainda melhores.


Há algumas formas simples de fazer este ajuste no mindset:

  1. Cada pedido é apenas um pedido (e não uma obrigação)

  2. Não é possível agradar a todos, por isso é bom pensar em quem queremos mesmo fazer feliz

  3. Todas as decisões são uma escolha que favorece uma opção em detrimento das restantes, por isso pensa no que vais estar a perder e a ganhar com cada escolha

  4. Analisa o grau de realização do que estás a fazer (pode não valer a pena, ou ser tão importante que vale a pena o esforço)

  5. Urgente e importante são duas coisas muito diferentes.

  6. Tempo para ti é um compromisso tão importante como tempo com os outros e por isso não deve ser deixado para último.

Aqui no blog somos apologistas de dedicar o tempo certo a cada coisa em vez de andar a correr tipo barata tonta de um lado para o outro e esperamos que com estas dicas te sintas mais realizada e super!